quinta-feira, 27 de março de 2008

Os Excluídos Tântricos


Na Idade das Trevas muitos reis opressores formaram conluios com a Igreja, tão somente no intuito de atribuir culpa aos homens e mulheres que mantivessem prática regular de acasalamento voltado para o prazer e realização pessoal.

O confisco de bens somou-se à imposição de penitências que incluíam até mesmo a entrega de parceiros ou parceiras à Inquisição.

Foram divulgadas versões horripilantes sobre um suposto pecado original, que seria caracterizado pela cópula que representasse apenas prazer em antítese à mera multiplicação da espécie.

Com isso, casais eram separados ou jovens filhas eram entregues às mãos de determinados sacerdotes maníacos, cuja sanha nada tinha de supersticiosa e, ao contrário, tinha a ver com a satisfação dos próprios instintos bestiais.

A natureza do prazer tântrico-dialético foi esquecida em nome do apaziguamento de um deus irado e implacável.

Meu irmão e minha irmã! Em nossos cursos de tantrismo dialético usamos recursos avançados que incluem a cromoterapia voluptuosa, onde a cor vermelha predomina nos ambientes durante o ritual. Ao final do treinamento com as diligentes irmãs peregrinas, é recomendado o exercício de despressurização anímica como lição de casa para aqueles casos crônicos dos que sentem medo de uma suposta punição divina em que a humanidade acreditou por conta da lavagem cerebral dos séculos opressivos.

Em nossas estatísticas podemos verificar uma queda acentuada no índice dos excluídos tântricos desde a década passada, em todo o mundo.

Chegou a Hora Nova, quando a luz kundalínica já começa a brilhar!

Seja o primeiro a comentar

  ©"Em verdade vos digo", o blog da Hector Hereeye Foundation Template layla-imagem banner Kazuhiko Nakamura

TOPO  

Clicky Web Analytics