quinta-feira, 20 de março de 2008

A bêbada e o oportunista




Uma conhecida lenda esotérico-tântrico-oportunista nos traz uma grande lição sobre os engodos das falsas promessas.


A bela (de sangue azul) Eapah Ihris Yhiltun sentiu-se encantada ao ouvir de um dos seus conselheiros sobre uma suposta fonte da juventude que se situaria dentro dos limites de um reino vizinho.


Foi dito também a ela que um tal elixir era extraído dessa fonte e estava sendo armazenado em latinhas, para ser utilizado por sua grande rival, cuja aparente juventude era de causar inveja.


De fato, mal se podia determinar qual seria a idade de Nissur Laandris... a mais desejada de todas as rainhas dos Reinos Unidos do Arquipélago Feroe.


O conselheiro Parmah Demetrius recomendou, então, que a bela Eapah lhe desse permissão para reunir uma tropa de habilidosos guerreiros com a missão de saquear o depósito onde estavam guardadas as latinhas com todo o elixir que ali existia.


Dias depois lá estava a bela invejosa Eapah Ihris Yhiltun de posse da bebida mística, que agora consumia vorazmente como se fosse água.


Não demorou para que essa ambiciosa herdeira do trono se pusesse a ordenar o envio de novas tropas de assalto, fulminada que foi pela dependência orgânica causada por aquele líquido.

Dois anos depois era celebrada a fusão entre os reinos das duas rivais, antigo sonho do esperto Parmah Demetrius.


Não, não pensem que Eapah Ihris Yhiltun havia se tornado rainha.


Ao contrário, a antiga "rainha rival" era agora senhora dos dois reinos, com a aparência física cada vez mais deslumbrante e conservada, enquanto comemorava o êxito do seu plano urdido juntamente com o seu amante Parmah Demetrius, o qual sutilmente havia construído o escândalo do nascimento de seu próprio primeiro filho com Eapah Ihris Yhiltun.


Isso mesmo, ele era durante todo o tempo amante da rainha que não envelhecia... e por essa razão teceu a trama que o tornou pai, como fruto do voluptuoso envolvimento amoroso também com Eapah Ihris Yhiltun que engravidou quando a ele recorria ao longo dos momentos de embriaguez dela ("pobre" rica princesa).


Ele, o conselheiro plebeu, na alcova com a princesa Eapah Ihris Yhiltun?


Sem problemas! Pois foi o mesmo conselheiro pecador oportunista, é claro, que sugeriu a fusão dos dois reinos para estancar a revolta do povo até então governado pela família real em cujo trono jamais estaria sentada a bela Eapah Ihris Yhiltun.

Moral da estória: nunca queira a água que o passarinho não bebe.

Seja o primeiro a comentar

  ©"Em verdade vos digo", o blog da Hector Hereeye Foundation Template layla-imagem banner Kazuhiko Nakamura

TOPO  

Clicky Web Analytics