quarta-feira, 27 de junho de 2007

Tema de hoje: Alguém chega de Marrocos


Como trilheiro espiritual, vos digo: “Ri melhor quem ri por último”. Certa vez, no caminho Ao-Shu-man, encontrei-me com monges Song-Dian-fa do mosteiro de Li-Bao-tian. Estava, à época, pesquisando sobre a visão que as diversas vertentes esotérico oportunistas encaravam os ensinamentos divinos. Uma questão que me intrigava era o pecado original. Por que Eva, mesmo sabendo que era proibido, teria comido a maçã? Por que uma maçã e não uma melancia ou um mamão papaya? Por que andavam nus? O que representa na verdade a serpente no ideário nirvânico? Esses monges têm uma visão original sobre o assunto. “Acreditamos que Deus é amor. O amor é cego”, disseram. “O divino deveria saber perdoar, mesmo quando contrariado”, completaram. Eles acreditam que a nudez de Adão e Eva tem um cunho pseudo-capitalista. “A necessidade de roupas moveria a economia, criando industrias têxteis e criando empregos”, afirmaram. “A serpente significa um estado laico que, através dos impostos, sugando toda a produtividade econômica, criando dificuldades para vender facilidades. A maçã é a forma encontrada para fortalecer o vinculo estado-contribuinte”, completaram. Meditei sobre o assunto e vi que realmente a maçã é a contra-partida do estado para com o povo. Mas ficou no ar a dúvida atroz: Por que maçã? “Muito simples, era a fruta da época”, concluíram. No mundo de hoje, cercados por belas mulheres, bólidos esportivos de último tipo e viagens facilitadas em 10 vezes sem juros no cartão há de ter cuidado. Meu irmão, minha irmã, percebam os dogmas e axiomas como extensão da vida espiritual. Não como o cerne religioso definitivo. Nõs, “magos”, temos uma visão muito peculiar do assunto, meditando sobre um copo de saboroso vinho francês, no alpendre de nosso chateau. Chegados e pessoais são os caminhos da iluminação.

Direto de Mahendranagar, Nepal: A imagem acima é de peregrinos em júbilo pela presença deste mago que vos escreve. Logo depois proferi a palestra “Aspectos auspiciosos divinos esotéricos, uma abordagem exploradora nirvânica dialética dicotômica da falácia religiosa" que proferi para 1.500 empresários nepaleses. Aos que desejam ter seu blog linkado, nessa casa espiritual, se manifestem. É de graça. Consultas oraculares podem ser enviadas por e-mail para heitorcaolho@gmail.com ou deixadas nos comentários. Conheçam o orkut do mago, link ao lado.

-------------------------

Tem post novo no blog de meu psicógrafo, Juarez, o Cabrito Montês. O final da saga do Eldorado. Leiam aqui e rejubilem-se.

Agradecemos à Irmã Pata Irada, a Pata Irada, pela idéia da estória e pelas cobranças.

Seja o primeiro a comentar

  ©"Em verdade vos digo", o blog da Hector Hereeye Foundation Template layla-imagem banner Kazuhiko Nakamura

TOPO  

Clicky Web Analytics