sexta-feira, 18 de abril de 2008

Como Fazer Amigos Sem Bajular Pessoas no Mundo dos Oportunismos


Alguns princípios básicos para esse assunto do título.


1) Se o seu amigo for “um limão de pessoa”, não tente fazer dele uma limonada.

- Lembrem-se, meus irmãos e minhas irmãs: no esoterismo oportunista não há espaço para chantagem emocional. Isto significa que se alguém sempre precisa ser tolerantemente suportado por você, a razão é que essa pessoa tem por regra lhe fazer ceder até mesmo quando já ela já obteve tudo. Desmagnetize-se dela. E em verdade vos digo mais: a menos que seja mais que amigo(a), não se permita decrescer na escala da auto-estima um segundo sequer. Neste caso, simplesmente, selecione-a e copie/cole outra pessoa sobre essa pseudo-amizade.

2) Amigos, amigos... maus negócios à parte.
- Deixe essas reticências aí mesmo onde estão. Principalmente se você pretende chegar ao grau de mago (ou maga). Jamais esqueça que a lei da reciprocidade não nos permite separar amizade de negócios, desde que sejam observadas as condições previstas na nossa publicação empresarial intitulada Anuário de uma Mago(empresa).*

NOTA- *Esta publicação é disponibilizada (mediante pagamento de quantia simbólica) todos os anos, para os empreendedores mais destacados da Hector Hereeye Foundation.


3) Amigo aloprado, amigo hipotecado.
- Se o seu suposto amigo se posiciona na definição #1 acima, mas igualmente se enquadra no princípio da reciprocidade (#2), uma discreta tolerância oportunista é necessária até que as leis de mercado lhe permitam repassá-lo a um irmão esoterista-oportunista menos abonado que dele necessite por um tempo. Neste último caso, não se esqueça de fazer esse próximo “elo” da corrente fraternal assinar um termo de isenção que demonstre que você o preveniu antes.


4) Amigo(a) do tipo: ¼ da laranja.
- Este tipo geralmente é do sexo oposto e costuma estar com você nos momentos mais abonados de sua vida, fazendo questão de lhe ensinar lições naquele padrão “pule a cerca sem culpa”. Neste caso, procure confiar no seu próprio bom gosto sem esticar o relacionamento e estabelecendo durações curtas a cada fase deste. Não esqueça de se certificar de que a pessoa não está aliciada pela concorrência para minar sua vida pessoal.


Em outro momento voltarei com mais excertos do meu livro: “A Parte Submersa do Iceberg É Toda Sua”.

Seja o primeiro a comentar

  ©"Em verdade vos digo", o blog da Hector Hereeye Foundation Template layla-imagem banner Kazuhiko Nakamura

TOPO  

Clicky Web Analytics