terça-feira, 2 de outubro de 2007

Tema de hoje: Dos diálogos


Como trilheiro espiritual, vos digo: “Quanto menos matéria dialética existir, mais substância oportunista haverá”. O caminhante esotérico oportunista vive em um constante diálogo consigo mesmo. Um debate profundo entre o bem e o mal. O bem diz para tirar apenas o necessário do necessitado de ajuda nirvânica. O mal insiste que tirem tudo. Há de existir bom-senso nesse diálogo, não se deixe enganar pelo mal nem fique tentado pelo bem. Nem tanto céu divino nem tanto o inferno dialético. O caminhante de fé deve retirar o suficiente para que o necessitado se torne refém das palavras de salvação e encher as burras do seu guru preferido. Nós, “magos”, extraímos o máximo de recursos. Afinal, sustentar nosso chateau e abastecê-lo de vigorosos vinhos franceses não é barato. Além do que um crítico venal e um editor ganancioso esgotam rapidamente nossas reservas. Dialogáveis são os caminhos da iluminação.

Direto de Istambul, Turquia: Na imagem acima uma peregrina medita, em decúbito dorsal, sobre a influência do bem e do mal no tantrismo dialético. Logo após proferi a palestra "A meditação transcedental dialética nirvânica, um diálogo sombrio sobre a busca do relacionamento cármico nos caminhos dicotômicos”, para 1.500 empresários turcos. Aos que desejam ter seu blog linkado, nessa casa espiritual, se manifestem. É de graça. Consultas oraculares podem ser enviadas por e-mail para heitorcaolho@gmail.com ou deixadas nos comentários.

Seja o primeiro a comentar

  ©"Em verdade vos digo", o blog da Hector Hereeye Foundation Template layla-imagem banner Kazuhiko Nakamura

TOPO  

Clicky Web Analytics