quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Tema de hoje: A outra mulher


Como trilheiro espiritual, vos digo: “Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”. O caminho esotérico oportunista é recheado de tentações. Muitas delas são oriundas do lado negro do divino nirvânico. Meu irmão, minha irmã, a incapacidade de identificar qual a tentação é do bem e qual é a do mal nos leva a recomendar, fortemente, que não cedam à nenhuma delas. Não deixe, por exemplo, entrar qualquer um(a) no seu bólido esportivo. Lembre-se de Eva, que comeu a maçã por achar que Adão tinha outra, quando na verdade era apenas um reflexo de suas inseguranças dialéticas. Nós, “magos”, alcançamos tal magnitude que, bebendo um pecaminoso vinho francês em nosso chateau, identificamos claramente quando aquela loira estonteante é uma aproveitadora ou uma necessitada de um trabalho tântrico personalizado. Outros e mulherengos são os caminhos da iluminação.

Direto de Dubbo, Austrália: A imagem acima é de peregrinas protestando contra a exploração do meio ambiente e pela liberação tântrica geral, ampla e irrestrita. Após esta manifestação proferi a palestra “O outro dialético nirvânico, uma abordagem feminina do fluxo inesgotável e divino de recursos dicotômicos”, que proferi para 1.500 empresários australianos. Aos que desejam ter seu blog linkado, nessa casa espiritual, se manifestem. É de graça. Consultas oraculares podem ser enviadas por e-mail para heitorcaolho@gmail.com ou deixadas nos comentários.

Seja o primeiro a comentar

  ©"Em verdade vos digo", o blog da Hector Hereeye Foundation Template layla-imagem banner Kazuhiko Nakamura

TOPO  

Clicky Web Analytics